Matusalém & Castelan
OAB/SC sob o nº 1076/2005
Cuidando do seu direito
Especializado em direito previdenciário
Florianópolis Criciúma Tubarão Imbituba Jaraguá do Sul
A REFORMA DA PREVIDÊNCIA ESTÁ SENDO VOTADA E QUEM PERDE É VOCÊ
noticia 1

O Governo Bolsonaro enviou ao congresso uma proposta de reforma da previdência que é muito prejudicial aos segurados, sejam eles urbanos ou rurais, empregados ou empregadores ou profissionais liberais e aposentados ou não.


A proposta é tão ruim para o povo que o governo decretou sigilo sobre os estudos técnicos que embasariam a proposta. Ou seja, os deputados terão que votar no escuro e sem saber os reais motivos. 


As notícias são de o Governo Bolsonaro ofereceu R$ 40 milhões de reais em emendas parlamentares para os deputados e deputadas federais aprovarem a ‘Reforma da Previdência’. A proposta já foi rapidamente votada e aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. 48 votaram à favor, 18 votaram contra, mas ela ainda será votada pelo menos mais umas 5 vezes por comissões e por todo o Congresso até ser aprovada ou rejeitada.


SE APROVADA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA FARÁ COM QUE MUITOS BRASILEIROS TRABALHEM ATÉ MORRER E SEM SE APOSENTAR


A idade mínima para a aposentadoria iniciará com 65 anos para homens e 62 para mulheres, mas aumentará um ano a cada cinco anos aproximadamente. Portanto, em pouco tempo a idade mínima já será de 70 anos.

O projeto ainda diz que cada trabalhador(a) terá que contribuir por 40 anos para aposentar-se com a média salarial de 100% de suas contribuições. Ocorre que se você já tiver trabalhado 40 anos, mas não tiver a idade mínima não poderá se aposentar. Portanto, na prática muitos vão trabalhar por volta de 50 anos até se aposentar.

De outro lado a proposta, também, prevê um tempo mínimo de 20 anos de contribuição. Isso quer dizer que quem completar a idade e tiver menos de 20 anos de contribuição não vai se aposentar.

O CÁLCULO DO VALOR DOS BENEFÍCIOS FICARÁ MUITO PIOR DO QUE É HOJE

A proposta do governo mexe na forma de calcular a média das contribuições e no percentual que o segurado vai receber. E isso se aplica não só às aposentadorias por idade e especial, mas também as pensões por morte, ao auxílios-doença, etc. 

Hoje os benefícios são calculados pela média das 80% maiores contribuições, ou seja, descarta as 20% menores contribuições. Isso é um pequeno alívio aos trabalhadores que tem contribuições irregulares ao longo de sua vida de trabalho.

O Governo quer passar o cálculo da média para 100% das contribuições, ou seja, não descarta nada. Só com esta medida todos os benefícios perderão valor que pode chegar a mais de 10% de diminuição.

Outra questão muito importante é o percentual que o trabalhador recebe da média de contribuições. Hoje nas aposentadorias especial, invalidez, de pessoa com deficiência, pensão por morte e atá algumas aposentadorias por tempo de contribuição o segurado recebe 100% da média contributiva.

A proposta do governo é pagar apenas 60% da média para todo mundo que tiver até 20 anos de contribuição e pegar apenas mais 2% para cada ano que passar de 20 anos de contribuição.
No caso da pensão por morte o cálculo é muito pior, pois o valor começa com apenas 60% do valor da aposentadoria. Portanto, em alguns casos o valor corresponderá a 60% de 60%. Pra você entender bem: tem casos em que a aposentadoria será 60% da média contributiva e a pensão será 60% desta aposentadoria. Isso vai representar uma diminuição de quase 2/3 em relação ao valor de como a lei prevê atualmente.

?
Veja neste exemplo prático de cálculo o tamanho das perdas

 - Um segurado que contribui os últimos 20 anos com 4 salários mínimos:
- Pela lei atual sua média contributiva será de R$ 3.279,15. Sua aposentadoria por invalidez será de R$ 3.279,15 e a pensão de seus dependentes será de R$ 3.279,15. 
- Pela proposta do governo a média contributiva cai para R$ 3.052,26. A aposentadoria por invalidez cai para R$ 1.831,35 e a pensão de seus dependentes cai para R$ 1.098,81.

Este cálculo atinge empregados, empregadores e autônomos. Portanto, a proposta do governo vai empobrecer todos os segurados, além de fazer com que todos trabalhem muito mais tempo.

Outras questões muito graves estão previstas na reforma:

- Trabalhador rural ter que contribuir com carnê

- Não conversão do tempo especial para comum

- Fim do tempo especial para a exposição à periculosidade

- Fim da garantia de reajuste dos benefícios pela inflação

- Fim da garantia de um salário mínimo para as pensões 

- Fim do abono do PIS e PASEP, que é o 14°, para quem recebe mais que um salário mínimo.

Outro absurdo sem precedente é a idade mínima para as aposentadorias especiais de 55 anos de idade para exposição de 15 anos insalubres, 58 anos de idade para exposição de 20 anos insalubres e 60 anos de idade para exposição de 25 anos insalubres. Mesmo que você tenha o tempo terá que esperar a idade mínima.


O GOVERNO DIZ QUE A REFORMA É PARA ACABAR COM PRIVILÉGIOS, MAS ISSO É UMA GRANDE MENTIDA. QUEM MAIS VAI PERDER SÃO OS POPRES E A CLASSE MÉDIA.

FICOU COM DÚVIDAS?
ENTRE EM CONTATO
PELO WHATSAPP
ENVIE SUA DÚVIDA
via whatsapp

Nós utilizamos cookies para lhe proporcionar uma boa experiência ao navegar em nosso site, ou ao utilizar nossos serviços, e também para melhorá-los, mas você pode configurar seu navegador ou dispositivo para não aceitá-los. Para saber mais sobre o uso de cookies e sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia a nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.